Monsanto

A Monsanto é uma grande empresa, multinacional, que atua no agronegócio e é responsável pela produção de herbicida glifosato que é um produto químico utilizado na agricultura para o controle de ervas, ela também é muito conhecida por produzir sementes transgenicas, e por comprar diversas empresas do ramo do comércio internacional de alimentos, como a indústria de sementes Agroceres, a Agroeste sementes, a Canavialis e a Alellyx. Além disso, a Monsanto já possuía a brasileira Monsoy desde 1997.
Nos anos 40 ela se tornou umas das principais fornecedoras de plástico, incluindo polietileno e fibras sintéticas. Desde então, ela se manteve entre as 10 maiores indústrias químicas estadunidenses.Porém a partir dos anos 30 já se tinha alguns indícios dos perigos na composição de alguns produtos, que foram comprovados por volta dos anos 60 e 70. Os PCBs e outros compostos organoclorados provocavam câncer e estavam relacionados com um conjunto de transtornos reprodutivos e imunológicos. O Ascarel é proibido hoje no mundo, mas ninguém sabe o que fazer com as milhões de toneladas do produto estocadas por todo planeta. Há cerca de cinco anos a imprensa noticiou que pessoas de classe baixa, cariocas estavam pegando ascarel de um depósito e usando-o como óleo de cozinha!
A Monsanto foi a principal acusada na demanda interposta pelos veteranos da guerra do Vietnã que, depois do conflito, apresentaram uma série de doenças atribuídas a exposição ao agente laranja, que devido a maior quantidade de dioxinas era altamente perigosa.
É preciso observar que os militares prestaram serviço por no máximo um ano no Vietnã. Mas e os nativos da região? Estimativas dão conta da existência de mais de 500 mil crianças nascidas no Vietnã desde os anos 60 com deformidades relacionadas às dioxinas contidas no agente laranja.
Mais tarde foi comprovado que alguns produtos promovia o crescimento de tumores cancerígenos.
A Monsanto foi acusada e processada por diversas coisas, e inclusive teve que pagar indenizações altas devido a causar danos ao meio ambiente. Atualmente apesar de tudo, a Monsanto ainda é uma grande multinacional e continua representando perigo para a sociedade, e foi eleita na vigésima sexta posição a melhor empresa para se trabalhar no Brasil.

Nome:Pamella Martins
n°22

Anúncios

Sistema Plantation

Sistema Plantation

Plantation foi um sistema agrícola muito utilizado na colonização da América. Com a descoberta do continente americano, os europeus passaram a explorar as novas terras com o intuito de abastecer o mercado de seu continente. No Brasil, como em outras partes da América, utilizou-se um método de produção conhecido como Plantation. Este sistema agrícola tinha como objetivo gerar produtos agrícolas com baixo custo para as metrópoles em suas respectivas colônias e o enriquecimento através de sua comercialização na Europa. Desta forma os lucros da metrópole eram significativos. A utilização desta forma de produção agrícola estava inserida dentro da lógica de um sistema que atualmente é muito questionado pela historiografia, o Pacto Colonial. Segundo este, a colônia produzia através da Plantation para a metrópole, a qual detinha o monopólio dos produtos gerados em suas colônias no continente americano. A Plantation, que marcou especialmente o período colonial da América, tinhas suas características intrínsecas. O sistema agrícola era baseado em latifúndios monocultores com produção baseada em mão-de-obra compulsória e destinada à exportação. Este tipo de exploração do solo que caracterizou as chamadas colônias de exploração na América. O latifúndio foi um traço muito comum das colônias de exploração, poucas pessoas eram donas de grandes quantidades de terra e estavam diretamente ligadas à coroa para gerar os produtos que abasteceriam a metrópole. Ainda hoje, especialmente na América Latina, as características latifundiárias são existentes em diversos países. A monocultura consiste na exploração intensiva da porção de terra utilizada, o latifúndio, para a produção de apenas um gênero agrícola. O gênero mais explorado no Brasil durante muito tempo foi a cana-de-açúcar. Depois, o café assumiu também tal característica, e hoje é a vez da soja. A mão-de-obra compulsória era outro fator notável no processo produtivo da Plantation. A utilização do trabalho forçado era o meio identificado no momento como a melhor forma de extremar os lucros e diminuir os gastos para produção, chamado de exploração dos escravos. O Brasil utilizou largamente o trabalho de escravos negros vindos da África, o que permaneceu por longo tempo como vigente. Já outros países da América Latina fizeram amplo uso do trabalho forçado das populações indígenas que encontravam pelo caminho. Por fim, o fator exportador era a característica lapidante da Plantation. Toda a produção gerada pelo sistema agrícola tinha como destino o mercado europeu, onde as metrópoles comercializavam seus produtos e extraíam grandes lucros. Nas colônias ficavam apenas as piores partes dos gêneros produzidos em suas colheitas, sendo que as colônias não tinham a liberdade de comercializar com outros países. O lucro de todo esse sistema era arquitetado para satisfazer os cofres metropolitanos. O sistema agrícola Plantation não deixou de ser utilizado. Permaneceu vivo ao longo do tempo com a restrição de que o trabalho escravo foi abolido. Com as outras características, o Plantation ainda é adotado no Brasil, por exemplo, no cultivo de café ou cana-de-açúcar. Infelizmente, em alguns casos ainda se descobre a utilização de trabalho escravo.

Imagem

Bruna Fernandes, Nº6, 3ªB

O Agronegócio

O Agronegócio no Brasil 

O agronegócio é uma atividade que tem apresentado grande crescimento significativo em nosso pais. Esse oficio esta vinculado com atividades da agricultura e pecuária,   e por englobar desde a produção  ate a distribuição dizemos que é uma atividade ligada aos 3 setores econômicos.

Atualmente  o agronegócio representa 27% de nosso PIB- Produto Interno Bruto, gera cerca de 37% dos empregos no Brasil e compõe  40% de todas as exportações brasileiras, para chegar á esses números contamos com mais de 56 milhões de hectares utilizados para o cultivo, 220 milhões de hectares aplicados em pastagens e 4.9 milhões de estabelecimentos rurais, porem dessas grandes estruturas apenas 40% apresentam fontes de tecnologias, as demais utilizam de métodos tradicionais para realizar tal atividade. 

Com a estrutura citada anteriormente a safra brasileira lidera o ranking mundial produtivo, sendo responsável pela maior produção de  café, açúcar, suco de laranja, tabaco entre outros, estamos também inclusos entre os primeiros lugares na exportação de carne bovina, carne de frango, açúcar, cafe e estamos a caminho de ser o maior exportador da soja. O brasil ocupa essas posições, pois temos um solo fértil que facilita a agricultura, alem da abundancia na disponibilidade de água, biodiversidade bovina e grandes números de trabalhadores que contribuem para o sucesso do agronegócio. Alem desses fatores nosso pais possui o Plano de Safra, ( programa inédito do Governo Federal para estimular o desenvolvimento do setor por meio de linhas de crédito para o aumento de produção e a geração de emprego e renda), juros baixos nos produtos e outros subsídios para que cada vez mais a capacidade  eficiência e rapidez na produção aumente, promovendo também as participação das multinacionais nesse ramo. 

Apesar de todas as vantagens citadas anteriormente o sistema de transporte de nosso pais compromete o desempenho do agronegócio, visto que tal atividade exige que haja bons meios de condução, por exemplo, o Brasil possui amplas estradas rodagem  porem com péssimas condições de uso que não atendem o aumento das exportações, as ferrovias são insuficientes e as hidrovias apresentam baixa extensão, outra opção seriam as navegações por cabotagem que não sao utilizada em nosso pais apesar do potencial que temos, o fato é, todos esses fatores  interferem diretamente no custo final do produto colocando em risco sua competitividade. Outro problema encontrado são os impactos ambientais gerados pelo desmatamento para a ocupação do solo. Vale ressaltar que todos esses empecilhos se dão devido a falta de investimento do governo nessa área,  apesar desse gerenciamento oferecer algumas vantagens não vemos melhoria no que de fato precisa ser melhorado, temos grande potencial para cada vez mais aumentar nossa capacidade produtiva, porem o governo vem estabilizando o crescimento do agronegócio em nosso pais. 

Dados do Embrapa – Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuárias. 

 

Imagem

Thamyris Lais Neves de Lima, N 26

Desertos Verdes e a Produção de soja no Brasil

Desertos Verdes

Os desertos verdes são grandes áreas cobertas por uma vegetação que foi introduzida de maneira artificial pelo ser humano. De acordo com ambientalistas um dos exemplos de Desertos Verdes seriam as enormes plantações por indústrias, como as de celulose e papel, assim como extensas lavouras de soja e cana. A pesar de serem facilmente identificadas, não há uma extensão padrão para determinar a existência de um deserto verde. Esses ecossistemas também não seriam capazes de sustentar outras formas de vida, como por exemplo, uma comunidade de animais.

Um deserto verde, ou um ecossistema formado por uma única espécie é muito pobre em relação a um ecossistema natural. Porém alguns desertos verdes, como os dos eucaliptos em pínus, possuem um extenso ciclo de vida, pois após o plantio leva de 7 a 20 anos de vida até o período de corte, tempo suficiente para a colonização de diferentes animais e até mesmo a regeneração de espécies nativas.

Nas plantações de soja e cana é necessário utilizar muitas técnicas, como de produtos agroquímicos onde impede a colonização de outros animais e plantas. Mas mesmo assim esses desertos verdes podem ainda funcionar como “corredores” entre florestas, uma vez que passam a permitir o intercâmbio de espécies que habitam as florestas.

Imagem

Produção de soja no Brasil

A soja foi introduzida no Brasil pelos Japoneses imigrantes em 1908, porém na época a produção rural estava totalmente voltada para o café, assim a soja não ocupou espaço. Porém o desenvolvimento efetivo da soja só ocorreu na década de 70, pelas necessidades impostas pelo mercado mundial, e pelas indústrias de óleo. No Centro-Oeste a soja surgiu como uma nova opção produtiva. O solo do cerrado que era visto como um solo pobre passou a ser visto como um solo apto para produção agrícola, graças aos insumos que surgiram que corrigiram as deficiências de substancias.

Atualmente o Centro-Oeste é o segundo maior produtor de soja do pais, e a produção de soja também tem alcançado a cada ano índices de produção elevados, graças às novas tecnologias que ignoram as questões de solo e climas.

A soja se expandiu no sul do Maranhão e do Pará, mostrando com isso que a produção de soja saiu do Sul e Sudeste, migrou para o Centro-Oeste e agora inicia um novo clico em outras áreas também.

Um dos motivos para o cultivo da soja no Brasil é que a soja é a mais importante oleaginosa cultivada no mundo. Seu alto teor de proteínas proporciona múltiplas utilizações, porém as mais visadas são a produção do óleo e do farelo. O farelo da soja é o produto mais valioso principalmente para as exportações. Também as condições do mercado externo a comercialização da soja brasileira, o que acontece atualmente com os norte-americanos.

No Brasil existe um centro de pesquisa agropecuária, chamado EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) que desenvolveu sementes imunes a pragas, adaptadas ao clima, geração de plantas mais produtivas, entre outras. 

Imagem

 

Amanda Marchesi,  Número  01, sala 3 B

Mendel e sua importância para a genética

Quem foi:

Gregor Mendel (1822-1884) foi um biólogo e botânico austríaco. Descobriu as leis da genética, que mudaram o rumo da biologia. É considerado o pai da genética.

Biografia:

Gregor Mendel (1822-1884) nasceu em Heinzendorf, na parte da Silésia, que pertencia a Áustria. Filho de camponeses, observava e estudava as plantas, sua vocação científica desenvolveu-se paralela à vocação religiosa. Aos 11 anos, entrou para a escola e estudou filosofia em Ormutz.

Desde criança se destacava pela sua inteligência, sempre gostava de observar as plantas. A família manteve seus estudos superiores e, aos 21 anos de idade, ingressou no mosteiro da Ordem de Santo Agostinho de São Tomá, em Brno, antigo Império Austro-Húngaro em 1843, hoje República Tcheca, onde foi ordenado padre, com o nome de Gregor. Em 1851 foi enviado à Universidade de Viena, por seu superior, para desenvolver sua vocação pela ciência. Passou três anos se dedicando ao estudo da biologia, matemática e química. Em 1853, de volta à província, divide o tempo entre lecionar ciências naturais na Escola Superior de Brno.

Em 1862, junto com alguns colegas do magistério, fundou a Sociedade de Ciências Naturais. Dedicou-se ao estudo do cruzamento de várias espécies de plantas, entre elas, feijão, ervilha e chicória. Estudou também animais, como abelhas e camondongos. O mecanismo interno que determina a hereditariedade constituía um dos mais árduos problemas da Biologia. Mendel fez descobertas que mudaram o rumo da Biologia e posteriormente serviram de base a um brilhante conjunto de leis da Genética.

Os trabalhos de Mendel sobre hereditariedade versam principalmente sobre os híbridos. Estudando grande número de espécies, de várias gerações, ele estabeleceu certos fatos que projetaram nova luz nas leis da herança. Suas pesquisas conduziram ao descobrimento das primeiras leis quantitativas da Biologia.

As leis de Mendel foram extremamente importantes para a evolução das ciências: a lei da dominância, da disjunção, segundo a qual as características dos ascendentes se dissociam nas gerações seguintes, segundo proporções fixas. E a lei da independência dos caracteres. Apesar da paixão de Mendel por botânica e zoologia, por volta de 1868, seus deveres administrativos no convento cresceram

tanto, que ele abandonou por completo os trabalhos científicos.

Embora representasse um grande fato, os trabalhos escritos de Mendel passaram despercebidos até 1900, quando outros cientistas como o botânico holandês Hugo de Vries, conseguiu obter os mesmo resultados, embora Mendel tenha feito as mesmas descobertas 34 anos antes.

Gregor Johann Mendel morreu em Brno, vítima de doença renal, no dia 6 de janeiro de 1884.

 

Imagem   Imagem

 

 

fotografia de Mendel         Experimento com a ervilha

 

NOME: FABIANA, 3 ANO  B

O Milagre Brasileiro

Imagem

 

 

 

 

 

O Milagre Brasileiro

O Milagre brasileiro ocorre no período entre os anos 1969 e 1973,corresponde o governo de Emílio Médice, onde foi  conhecido como o ‘’milagre brasileiro’’  quando o PIB  atingiu médias de crescimentos superiores a 10% ao ano.

O Milagre foi possível devido ao contexto econômico internacional favorável, incluindo milhares de recursos financeiros disponíveis .

Para os países mais desenvolvidos, a facilidade de realizar os grandes empréstimos externos são extremamente  maiores.

Por outro lado a economia desenvolveu internamente, e os salários de classe média elevou-se,embora embora em uma proporção inferior as taxas de crescimento. Houve também a ampliação do sistema de crédito ao consumidor.

Quando o mercado interno de fortaleceu, as exportações em valores e variedades de produtos se aumentaram  intensamente.

Dentre estes periodos, foi marcado por um forte crescimento na economia. Nesta época o Brasil era uma Ditadura Militar, governado pelo general Médice.

No período entre os anos 1970 a 1980 foi marcado não só pelo crescimento da dívida externa, mas também pela diminuição dos investimentos estrangeiros, pela elevação nos gastos com a importância de petróleo e pela queda nos preços de diversas matérias agrículas e minerais exportadas pelo Brasil.

 

Maiara Stephanie n°17

 

 

 

O Milagre Brasileiro

O Milagre Brasileiro

O Milagre brasileiro ocorre no período entre os anos 1969 e 1973, corresponde o governo de Emílio Médice, onde foi  conhecido como o ‘’milagre brasileiro’’  quando o PIB  atingiu médias de crescimentos superiores a 10% ao ano.

O Milagre foi possível devido ao contexto econômico internacional favorável, incluindo milhares de recursos financeiros disponíveis.

Para os países mais desenvolvidos, a facilidade de realizar os grandes empréstimos externos são extremamente  maiores.

Por outro lado a economia desenvolveu internamente, e os salários de classe média elevou-se,embora embora em uma proporção inferior as taxas de crescimento. Houve também a ampliação do sistema de crédito ao consumidor.

Quando o mercado interno de fortaleceu, as exportações em valores e variedades de produtos se aumentaram  intensamente.

Dentre estes períodos, foi marcado por um forte crescimento na economia. Nesta época o Brasil era uma Ditadura Militar, governado pelo general Médice.

No período entre os anos 1970 a 1980 foi marcado não só pelo crescimento da dívida externa, mas também pela diminuição dos investimentos estrangeiros, pela elevação nos gastos com a importância de petróleo e pela queda nos preços de diversas matérias agrícola e minerais exportadas pelo Brasil.

 

Maiara Stephanie n°17