Desertos Verdes e a Produção de soja no Brasil

Desertos Verdes

Os desertos verdes são grandes áreas cobertas por uma vegetação que foi introduzida de maneira artificial pelo ser humano. De acordo com ambientalistas um dos exemplos de Desertos Verdes seriam as enormes plantações por indústrias, como as de celulose e papel, assim como extensas lavouras de soja e cana. A pesar de serem facilmente identificadas, não há uma extensão padrão para determinar a existência de um deserto verde. Esses ecossistemas também não seriam capazes de sustentar outras formas de vida, como por exemplo, uma comunidade de animais.

Um deserto verde, ou um ecossistema formado por uma única espécie é muito pobre em relação a um ecossistema natural. Porém alguns desertos verdes, como os dos eucaliptos em pínus, possuem um extenso ciclo de vida, pois após o plantio leva de 7 a 20 anos de vida até o período de corte, tempo suficiente para a colonização de diferentes animais e até mesmo a regeneração de espécies nativas.

Nas plantações de soja e cana é necessário utilizar muitas técnicas, como de produtos agroquímicos onde impede a colonização de outros animais e plantas. Mas mesmo assim esses desertos verdes podem ainda funcionar como “corredores” entre florestas, uma vez que passam a permitir o intercâmbio de espécies que habitam as florestas.

Imagem

Produção de soja no Brasil

A soja foi introduzida no Brasil pelos Japoneses imigrantes em 1908, porém na época a produção rural estava totalmente voltada para o café, assim a soja não ocupou espaço. Porém o desenvolvimento efetivo da soja só ocorreu na década de 70, pelas necessidades impostas pelo mercado mundial, e pelas indústrias de óleo. No Centro-Oeste a soja surgiu como uma nova opção produtiva. O solo do cerrado que era visto como um solo pobre passou a ser visto como um solo apto para produção agrícola, graças aos insumos que surgiram que corrigiram as deficiências de substancias.

Atualmente o Centro-Oeste é o segundo maior produtor de soja do pais, e a produção de soja também tem alcançado a cada ano índices de produção elevados, graças às novas tecnologias que ignoram as questões de solo e climas.

A soja se expandiu no sul do Maranhão e do Pará, mostrando com isso que a produção de soja saiu do Sul e Sudeste, migrou para o Centro-Oeste e agora inicia um novo clico em outras áreas também.

Um dos motivos para o cultivo da soja no Brasil é que a soja é a mais importante oleaginosa cultivada no mundo. Seu alto teor de proteínas proporciona múltiplas utilizações, porém as mais visadas são a produção do óleo e do farelo. O farelo da soja é o produto mais valioso principalmente para as exportações. Também as condições do mercado externo a comercialização da soja brasileira, o que acontece atualmente com os norte-americanos.

No Brasil existe um centro de pesquisa agropecuária, chamado EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) que desenvolveu sementes imunes a pragas, adaptadas ao clima, geração de plantas mais produtivas, entre outras. 

Imagem

 

Amanda Marchesi,  Número  01, sala 3 B

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s